A dor de cabeça ou cefaleia, que é nome científico, que se dá para dor de cabeça; é um mal que aflige milhões de pessoas no mundo todo.

São vários tipos de dores de cabeça que existem; mas vamos conhecer as mais frequentes, as características e as diferenças dela para enxaqueca.

E vamos saber também aqui neste artigo; quando devemos recorrer a um médico.

A Dor de Cabeça ou Cefaleia

É importante sabermos que a dor de cabeça ou cefaleia, é a mesma coisa.

Porem, Cefaleia é o termo médico ou cientifico da dor de cabeça.

E dor de cabeça é um sintoma que a pessoa tem, como por exemplo: dor nas costas, ou dor nos pés; assim também, podemos ter dor de cabeça.

Então é um tema de variadas doenças; e o diagnóstico do sintoma é bastante importante, e deve ser feito com bastante cuidado.

As respostas que se vê nos exames de pacientes com enxaqueca, com dores de cabeça crônica; são basicamente uma resposta inflamatória neuroquímica.

Estas foram causadas por um processo de inflamação dos nervos; ao redor de uma região chamada dura-máter.

Esses impulsos químicos e neuroquímicos inflamatórios, é responsável por espalhar essa resposta de dor, para outras áreas do cérebro.

E isso faz com que a pessoa sinta a dor, em algum lugar diferente a cada dia.

O Tamanho do Problema na População.

A dor de cabeça pode acometer qualquer um de nós; e sua incidência é grande na População Brasileira.

Segundo alguns estudos, cerca de setenta por cento dos brasileiros, vão apresentar algum tipo de dor de cabeça, em algum momento da vida.

Sendo que de longe, as mais comuns são duas: A enxaqueca e a cefaleia do tipo tensional

A enxaqueca

A  Enxaqueca atinge mais ou menos quinze por cento dos brasileiros; portanto grande parte de  nossa população.

Em número de pessoas estamos falando em mais 30 milhões de pessoas que sofrem com Enxaqueca.

E importante falar que existe uma forma da enxaqueca, que acontece com frequência diária, ou quase diária, mais de 15 dias por mês.

Essa situação é chamada de enxaqueca crônica; e isso acontece em mais ou menos 6% da população brasileira, ou seja, são mais de 12 milhões de pessoas.

Nessa população onde a enxaqueca é muito frequente; é preciso um diagnóstico, e um cuidado maior, para que essas pessoas tenham uma melhora na qualidade de vida.

Grupos de Risco

Apesar das dores de cabeça ocorrer em qualquer idade; pode se dizer que existem alguns grupos de risco.

Até porque é uma doença geneticamente suscetível em alguns grupos.

Existe um gene responsável por essa situação genética; e também uma alta prevalência, quando pensamos nas mulheres.

Porque nas mulheres existe uma ligação entre enxaqueca, e alterações do hormônio do tipo estrogênio.

Dados Sobre a Dor de Cabeça

Vamos ver mais alguns dados sobre a incidência da dor de cabeça no brasil.

Conforme pesquisa do IBIOPE, as cefaleias são mais freqüentes em mulheres, cerca de sessenta por cento delas; e quarenta por cento nos homens.

As pessoas mais acometidas são: As que têm nível de stress alto, pouca prática de exercícios físicos, dormem pouco ou mal, e se alimentam inadequadamente.

O impacto da dor de cabeça na vida das pessoas é grande; e é responsável por queda de produtividade, e por altos índices de falta no trabalho, e interfere também do convívio social.

A dor de cabeça pelo seu impacto na saúde, e na qualidade de vida das pessoas é considerado um sério problema de saúde pública.

A dor de cabeça quando ela é crônica, ou seja; mais de quinze vezes no mês, ela costuma ser incapacitante.

Dor de Cabeça é Um Assunto Sério

A dor de cabeça deve ser levada mais a sério por todos; não é normal ter dor de cabeça; mas a maioria das pessoas acham que é normal ter algum tipo de dor.

Mas na verdade, não é normal ter dor; o normal é não ter nenhum tipo de dor.

Saiba porem que o universo das dores de cabeça é bastante complexo; e as cefaleias podem ser primárias ou Secundárias.

As dores de cabeça primárias, são a própria doença; e as dores de cabeça secundárias, são as decorrentes de alguma outra causa.

Mas as dores de cabeça que mais acometem a população, são as primárias.

Tipos de Dores de Cabeça

Quais são esses tipos de dor de cabeça? Elas são principalmente a enxaqueca, e a chamada cefaleia tipo tensional.

Essas cefaleias são episódicas, elas ocorrem em crises, com intervalos, onde o paciente fica assintomático; mas a tendência é ser recorrente.

No entanto elas são benignas, do ponto de vista de que não ameaçam a vida do paciente.

Mas às vezes pela frequência e intensidade, elas arruínam a qualidade de vida da pessoa.

As cefaleias primárias mais comuns são: cefaleia tensional, e a enxaqueca ou migrânea.

Vamos ver a diferença entre elas; a cefaleia tensional e enxaquecas.

Enxaqueca ou Migrânea

Migrânea é o termo chamado no meio médico, mas a melhor denominação é enxaqueca; porque a maioria das pessoas conhecem o termo.

É um tipo de dor de cabeça, que ocorre no organismo geneticamente vulnerável, e vem geralmente acompanhado de manifestações como: fotofobias, fonofobias, náuseas ou vômitos.

E que geralmente são deflagrados por fatores desencadeantes.

Cefaleia Tipo Tensional

A cefaleia tipo tensional, é uma dor com sensação de aperto; porque ela vem da contratura de músculos da região cervical que se ligam ao crânio.

Então quando estes músculos são contraídos, eles podem provocar uma dor com sensação aperto; é como se tivesse um capacete apertando a cabeça.

Ela geralmente, além de não ser pulsante; não se acompanha nem de náuseas, nem de vômitos, nem de fotofobia, nem de fonofobia.

Ela é uma dor de menor intensidade, e costuma melhorar com a atividade física; mas a enxaqueca piora com a atividade física.

Vamos Conhecer um Sobre Cefaleia Tensional

A cefaleia tipo tensional, é aquela dor de cabeça, que todo mundo fala de uma dor normal.

A bem da verdade, é um termo ruim, porque dor não é normal; mas é muito frequente, e muito comum na população dizer isso.

Normalmente é uma dor mais leve, em intensidade; uma sensação de aperto na cabeça toda; e que melhora muito, quando a pessoa simplesmente descansa, se alimenta e sai  das atividades.

Alem disso, a cefaleia tensional pode ser caracterizada também, como episódica; ou seja, menos de 15 dias por mês.

Essas dores são fracas ou moderadas em peso ou pressão; e pode durar minutos, ou horas e às vezes ate dias.

Já as cefaleias crônicas podem surgir mais de 15 dias por mês; e as dores de cabeça podem durar entre 30 minutos e vários dias, comprometendo as atividades diárias.

A cefaleia tensional, costuma ser uma dor de cabeça pela lateral; ou seja, os dois lados, da cabeça dói.

A cefaleia tensional tem como causa, o excesso de contratura muscular na região cervical; e de toda a musculatura pericraniana; esses são os músculos que estão junto ao crânio e cabeça.

Os fatores para as crises da cefaleia tensional são: tensão, ansiedade, nervosismo, irritabilidade, e estresse.

Sobre Enxaqueca

Agora vamos saber mais sobre a enxaqueca, ou migrânea; como é conhecida no meio médico.

A enxaqueca, mais do que uma dor de cabeça, ela é uma doença neurológica; e provoca uma dor de cabeça muito típica.

O paciente refere uma dor de intensidade moderada a severa; e que atrapalha bastante as atividades da pessoa no dia a dia.

Esta dor, tende a ser mais forte de um lado da cabeça; e de uma forma que parece latejar ou pulsar.

Quase sempre na enxaqueca, temos alguns sintomas que acontecem; acompanhando essa dor de cabeça.

Uma intolerância grande a barulho, claridade, cheiros; e pode também apresentar náuseas, dor abdominal, vômitos e tonturas.

Então além da dor de cabeça, a enxaqueca provoca outros sintomas neurológicos; porque ela é uma doença neurológica.

Estima-se que a enxaqueca, que é uma das principais e mais frequentes formas de dor de cabeça; seja a quinta doença mais incapacitante do mundo.

Vale reforçar os principais sintomas da enxaqueca

Estes sintomas podem variar de pessoa para pessoa e pode incluir:

  • Dor de cabeça intensa, com duração média de três horas; mas que pode permanecer durante 72 horas.
  • Dor intensa e latejante, e que incide mais sobre um lado da cabeça
  • Alterações no sono e alimentação.
  • Vômitos, tonturas, náuseas, enjôo.
  • Visão ofuscada, com manchas de luz no campo de visão
  • Sensibilidade à luz, e ao ruído.
  • Sensibilidade a acertos cheiros, como perfumes e cheiro de cigarro
  • Aumento da dor durante a realização de atividades do dia a dia; como subir ou descer escadas, andar de carro ou agachar.
  • Dificuldades de concentração
As Causas da Enxaqueca

As causas exatas enxaqueca são desconhecidas; embora se saiba que elas estão relacionadas com alterações do cérebro e possui influência genética.

O padrão de crise é sempre o mesmo para cada indivíduo; variando apenas em Intensidade.

Sabe se também que os gatilhos para as crises de enxaqueca; variam de indivíduo para indivíduo.

Além da carga genética, diversos fatores podem influenciar, se desencadear uma crise de enxaqueca.

É muito importante que o paciente saiba identificar seus gatilhos como:

  • Estresse, ansiedade
  • Fatores hormonais
  • Fatores ambientais como; poluição atmosférica, excesso de luminosidade
  • Doenças associadas
  • Períodos de jejum
  • Alimentação ou álcool,
  • Sono em excesso ou falta.

A enxaqueca pode ocorrer em qualquer idade; mas tem uma maior incidência na adolescência e no adulto jovem.

Sendo mais comum em mulheres principalmente no período menstrual; pelo fato da constituição da mulher possuir hormônio estrogênio.

O Diagnóstico das Cefaleias

É fundamental o diagnóstico para livrar o paciente da dor; por isso vamos ver como se faz o Diagnóstico.

O diagnóstico de enxaqueca, e da dor de cabeça do tipo tensional, é sempre clínico.

É necessário um neurologista habilitado, que vai colher do paciente as características da dor.

Ele vai verificar a presença de histórico familiar, o quadro da dor e quando começou, e a frequência que acontece.

Normalmente são consultas que precisam ser longas, e bastante detalhadas; porque realmente dela depende o diagnóstico.

Nos casos de cefaleias secundárias, podem ser solicitados exames de imagem, para descartar alguma doença associada.

É importante que o paciente conheça os gatilhos, que possam desencadear as dores de cabeça.

Tratamento da Dor de Cabeça

Hoje a gente tem uma gama de tratamentos, tanto medicamentosos, como não medicamentoso; que vão ser instituídos, caso a caso por um médico especializado.

Eles vão prevenir que as pessoas tenham as crises de enxaqueca; quando se trata a crise, já está tratando a dor naquele momento.

Esse medicamento no entanto, devem ser orientado por um médico, da forma correta.

Mas o principal é tratar doença e evitar que as crises aconteçam.

Além do tratamento medicamentoso, também existem outras abordagens não farmacológicas e preventivas; que ajudam a tratar as dores de cabeça.

Algumas coisas que consegue prevenir a sua duração ou o seu início:

  • Atividade física regular, pelo menos três vezes por semana, isso libera um pouco do estresse emocional e a tenção.
  • O ato de dormir bem, regular, sempre no mesmo horário.
  • Uma outra coisa que ajuda bastante ao paciente, é comer bem, e com alimentação saudável
  • Acupuntura e terapia psicológica
  • Técnicas de relaxamento, alongamento e massagem

Essas medidas ajudam a prevenir e controlar as situações desencadeantes; ou gatilhos das crises.

Solicite mais informações sobre Convênio médico

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

four × 3 =