Depressão

Depressão

É um distúrbio psiquiátrico mais comum; todos nós experimentamos pelo menos uma vez na vida, embora, felizmente, sem intensidade e persistência da depressão patológica.

A depressão pode ser reativa fatores externos, como divórcio, perda de emprego, falta de dinheiro ou morte de uma pessoa, ou endógena,  quando resulta de desequilíbrios bioquímicos internos, intrínsecos ao cérebro ou secundários a outra doença médica global.

Algumas vezes, fases de euforia e de hiperatividade (mania) alternam-se com período de depressão.

Às vezes é difícil distinguir a fronteira entre o normal e o patológico; receber quando sentimentos justificados e tristeza, vazio interior, desespero e solidão (face a uma perda afetiva, desilusão ou situações vivencialmente adversas)

Começam a se tornar excessivos em intensidade e o duração.

É difícil separar sentimentos normais e tristeza, mágoa e desespero da depressão clínica, situação em que o indivíduo necessita de ajuda exterior.

A depressão é mais comum entre as mulheres do que entre homens e afeta mulheres e afeta pessoas de todas as idades. É a principal causa de suicídios e de tentativas de suicídios.

os sintomas da depressão inclui sentimentos de auto-desvalorização, inadaptação, isolamento e desespero e a convicção de que não somos compreendidos por ninguém, de que ninguém simpatiza conosco. 

Esses sintomas podem ser acompanhados pela perda de interesse no trabalho ou na vida doméstica, baixa capacidade de concentração e, em casos graves, por ideias delirantes (ruína, culpa), ilusões ou alucinações.

Os sintomas físicos, podem incluir perda de energia, dificuldade com lentidão nos movimentos, secura na boca, indigestão, lentidão dos movimentos intestinais, e prisões de ventre.

Em alguns casos as pessoas podem perder peso, e as mulheres podem ter a menstruação suspensa.

No caso da depressão endógena, as pessoas podem ser propensas a depressão desde o nascimento; isso se dá por irregularidade no funcionamento bioquímico do cérebro.

Em outros casos, a depressão surge associada a anemias, as alterações hormonais (por exemplo, hipotireoidismo) deficiência de vitaminas ou toxicomania.

Importante: se os sintomas de depressão foram intensos ou durarem mais do que algumas semanas, deve se procurar auxílio médico.

O que diz as medicinas alternativas sobre a depressão

Os naturopatas receitam doses elevadas e complexo b para combater a depressão.

Em particular a vitamina B6, recomendada para oscilações e disposição associada com problemas menstruais.

Quando se julga que a depressão foi provocada pela menopausa, alguns terapeutas aconselha a mulher a submeter-se a terapia de substituição hormonal.

Plantas medicinais

Acredita-se que uma ou duas xícaras de chá chá de marapuama ou catuaba melhoram a disposição geral.

Pode-se também tomar uma xícara de chá de alecrim quente, com uma pitada de valeriana.

Um tônico relaxante recomendado para os nervos consiste em uma infusão de 4 ou 5 extremidades floridas de alfazema adoçada com mel a gosto.

Outros tratamentos alternativos a depressão

Homeopatia. Se as crises  forem frequentes ou intensas deve-se consultar o homeopata. Quando a pessoa está ansiosa, inquieta, ou exaltada, especialmente nas primeiras horas da manhã recomenda se o arsenicum album.

Para ajudar a superar os distúrbios emocionais, tentar ignatia logo que surjam sintomas.

Se angústia persistir, tomar natrium mariaticum.

Todos devem ser tomados na sexta potência ou seja três vezes ao dia durante duas semanas.

Se a depressão envolver tendência suicida, deve-se procurar sem demora auxílio médico profissional.

Florais de Bach. Você é depressão segue-se é uma doença médica ou a um período de excessiva atividade física ou intelectual, Olive é considerado útil. Para casos de súbita depressão acompanhada de irá reprimida aconselha-se mostard.

Quando a depressão é causada por puro ou azedume Willow. Heather é considerado eficaz.

Larch pode ajudar a superar a falta de confiança e centaury auxilia aqueles que põem os interesses dos outros acima dos próprios.

Pessoas em Extrema desespero, principalmente no campo espiritual, são aconselhados a tomar Sweet Chestnut, é considerado útil para ajudar a encarar as mudanças da vida e também para quem está apático.

Acupuntura. As funções afetadas resultam de um desequilíbrio energético do rim, do baço e do coração. Há dois pontos de acupuntura, que em uma primeira abordagem é sempre útil tratar, que são os 5C tonificado fortemente, e o 4R, tratado em dispersão. Nessas situações, é de grande importância diagnosticar corretamente e tratar adequadamente os pontos precisos.

Podem-se esperar às bom resultados se a depressão for tratada no início. Em todos os outros casos pode ser aconselhável utilizar acupuntura como complemento.

Aromaterapia. Aromaterapia com massagem de corpo, é considerado eficaz no alívio da depressão. Vários óleos como,  manjericão, sálvia, alecrim, essência de rosas, camomila-romana (macela) rosa e tomilho, também são considerados benéficos. Os óleos devem ser inaladas profundamente em um pedaço de pano, a intervalos regulares.

como alternativa ponha de 6 a 8 gotas de qualquer deles no banho, as mensagens trazem efeitos agradáveis e relaxantes e são considerados um alívio para aqueles que sofrem de depressão.

O que dizem os médicos

Embora muitos médicos não se eu ponho as terapias alternativas quase todos consideram que elas devem ser acompanhadas com tratamentos médicos e psicológicos. Em caso de depressão ligeira por exemplo serão provavelmente respeitar os tranquilizantes ou antidepressivos em períodos curtos nos casos mais sérios pode se aconselhar um tratamento com antidepressivos durante várias semanas ou meses. A depressão com intenção suicida deve ser sempre tratada em contexto médico; muitas vezes é aconselhável a psicoterapia individual ou em grupo. Em casos específicos, quando a depressão resulta de situações profissionais, familiares, sociais complicadas, um clínico geral pode enviar a pessoa deprimida para um aconselhamento.

Fonte: Dicionario de medicina natural -  Reader´s Digest

Solicite mais informações sobre Convênio médico

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

twenty − 11 =